• Boxing Cuban Style (s/d)
    instalação multimídia 
  • Boxing Cuban Style (s/d)
    instalação multimídia 
  • Detalhe de Boxing Cuban Style (s/d)
    instalação multimídia 
  • Boxing Cuban Style (s/d)
    instalação multimídia 
  • Boxing Cuban Style (s/d)
    instalação multimídia 
  • Detalhe de Boxing Cuban Style (s/d)
    instalação multimídia 
Small_arrow_left Small_arrow_right

Ana Busto

O boxe tem sido foco da pesquisa de Ana Busto desde 1996, principalmente o cubano. Em Cuban boxing style, a artista reproduz os ringues onde os atletas treinam, numa atitude de resignificação do espaço da arte. Na performance, há boxeadores praticando exercícios e treinando, com a possibilidade de interação do público, que pode vestir as luvas, lutar e socar os sacos. Ana apresentou também vídeos e fotografias. Em 2008, participou da exposição coletiva Sport & numérique, na Cité des Sciences et de l’Industrie, in Paris.

Boxing Cuban Style

Daniela Maura Ribeiro

(...) toda esperanza perdida ahora que se llevantaba para acercarse aI vencedor y alzar los guantes hasta su cara, casi una caricia mientras Monzón le ponía los suyos en los hombros y otra vez se separaban, ahora sí para siempre, pensó Estévez, ahora para ya no encontrarse nunca más en un ring*.

O boxe tem sido um dos focos da pesquisa visual de Ana Busto desde 1996. Primeiro, seu objeto foi o boxe profissional e amador nos EUA, país onde o esporte alcança sua máxima audiência, segundo dados da artista, e daí resultou a instalação multimídia Night Fights (1999). Segundo, Busto redireciona seu interesse para o boxe amador de Cuba, país que produz os melhores resultados do esporte nos Jogos Olímpicos. 

A maneira de treinar em equipes, o nacionalismo dos boxeadores que almejam o ouro Olímpico para homenagear seu país e o cotidiano desses atletas configuram a proposta que Ana Busto apresenta no Paço das Artes. Em Boxing Cuban Style a artista espanhola radicada em Nova Iorque enuncia as peculiaridades do boxe cubano e revalida o diálogo entre a arte e o boxe. Busto apresenta esse universo em núcleos que se inter-relacionam gerando interfaces entre a instalação, a performance, ambiente sonoro e as imagens em movimento do vídeo/estáticas da fotografia, numa aproximação com a luta de boxe real, sobretudo como espetáculo visual. 

A artista reproduz na sala expositiva do Paço das Artes os ringues onde os atletas da Equipe Nacional de Cuba treinam, numa atitude que ressignifica o espaço de arte como um ginásio de boxe cubano. Os rinques da instalação são o local da ação proposta por Busto na performance inaugural de Boxing Cuban Style: vários boxeadores praticam exercícios de treinamento com a possibilidade de integração do público, que pode vestir as luvas, lutar e socar os sacos.

A performance transforma espaço e ação em um único corpo. Já o vídeo confere um caráter documental à obra e, somado às fotos e à ambientação sonora, configura um conjunto diretamente relacionado com o espaço-ação: o vídeo mostra imagens dos treinamentos da Equipe Nacional Cubana nos ginásios das cidades de Havana e Santiago e trechos de entrevistas com boxeadores, treinadores e diretores técnicos, ao mesmo tempo em que essa situação é simulada na performance. As fotos, assim como o vídeo e a ação, são referências visuais e retratam os boxeadores dessa equipe em diversos formatos, enquanto o áudio compõe a referência sonora mesclando ruídos retirados das sessões de treinamento da equipe. 

*(...) toda esperança perdida agora que se levantava para aproximar-se do vencedor e alçar as luvas na direção de seu rosto, quase uma carícia, enquanto Monzón colocava as suas nos ombros do oponente e outra vez se separavam, agora sim para sempre, pensou Estévez, agora para já não se encontrar nunca mais em um ringue. 

O conto La noche de Mantequilla retrata a histórica luta entre o boxeador argentino Carlos Monzón e o cubano José "Mantequilla" Nápoles que ocorreu em Paris em 1974 e foi um dos encontros mais esperados da época. O êxito de Monzón nessa luta  consolidou sua carreira na Europa. 
CORTAZAR, Julio. La noche de Mantequilla. In: Los relatos, 4, Ahí Y ahora. Madrid: Alianza Editorial, 1998. 

O boxe tem sido abordado por outros artistas de diversas nacionalidades. A Bienal Internacional del Deporte en Arte (BIDA) realizada em Valencia Espanha, que como diz o nome aproxima esporte e arte, apresentou na edição de 2001 os artistas Ana Busto, Arthur Cravan, Domingo Sánchez Blanco e Salla Tykkä com obras relacionadas ao boxe.

Ana Busto foi artista convidada para a Temporada de Projetos 2003
  • Realização: